Category ATIVOS

Ácido mandélico: o ativo que clareia manchas e esfolia a pele

O ácido mandélico é um AHA derivado do extrato de amêndoas amargas.

Qual é a função do ácido mandélico na pele?

O ativo vem sendo estudado no tratamento da pele por promover equilíbrio do processo de renovação epitelial.

É usado em cremes diários em concentrações de 2 a 10% e em peelings (aplicados em consultório) com concentração de 20 a 50%.

Atua na inibição da síntese da melanina e também na melanina já depositada na superfície da epiderme, ajudando a remover pigmentos escuros.

Quando aplicado na pele diariamente, melhora casos de hiperpigmentação, melasma, lentigos solares e manchas causadas por acne.

Na acne, ele ainda age durante o processo infeccioso, combatendo as bactérias e prevenindo a formação de novas, além de trabalhar na cicatrização, colaborando com o tratamento de eventuais sequelas.

O ácido mandélico também é usado para estimular a renovação celular, como esfoliante superficial.

Por ter uma molécula bem maior que a do ácido glicólico, ele penetra lentamente, o que favorece um efeito uniforme, duradouro, pouco irritativo e seguro inclusive em peles morenas e negras.

Para resumir, o ácido mandélico:

  • Melhora a acne
  • Clareia manchas causadas pela acne, pelo sol ou pelo melasma
  • Esfolia
  • Rejuvenesce

Há alguma contraindicação?

Não, praticamente todo mundo pode usar.

O ideal é consultar o seu dermatologista previamente.

Como a Creamy usa o ácido mandélico?

O ativo é a grande estrela do Creamy Mandélico, com 7% de AHA. Clique aqui e conheça o produto.

REFERÊNCIAS

Summary of Mandelic Acid for the Improvement of Skin Conditions, Mark B. Taylor, MD,  Cosmetic Dermatology JUNE 1999

PARFITT, K., & MARTINDALE, W. (1999). Martindale: the complete drug reference. London, UK, Pharmaceutical Press, Thirty-sixth edition, 2009

CAETANO, T.M, OLIVEITA, S.P . TRATAMENTO DE MELASMA COM ÁCIDO MANDÉLICO EM FOTOTIPOS ELEVADOS. Paraná 2017

HOCHHEN, L. DALCIM, C.P. PIAZZA, P.C.F. PINCIPIOS BÁSICOS PARA O TRATAMENTO COSMÉTICO DA ACNE VULGAR. ITAJAÍ

BATISTUZZO. O.A.J, ITAYA. M, ETO.Y. Formulário Médico-Farmacêutico. São Paulo, Pharmabooks, 4 o edição, 2011

ÁCIDO MANDÉLICO. Pubchem Banco de Dados Química Aberta. CDI: 1292

Ácido glicólico: conheça o ativo e seus benefícios para a pele

O ácido glicólico é um alfa-hidroxiácido obtido a partir da cana de açúcar e outros vegetais doces.

Qual é a função do ácido glicólico na pele?

O ativo foi descoberto nos anos 70 pelo dermatologista americano Eugene Van Scott, durante uma pesquisa de medicamentos para ictiose, uma doença de pele que provoca ressecamento extremo.

O pesquisador logo notou que esse ativo melhorava muito a condição de hidratação da pele dos pacientes com a patologia, então resolveu se aprofundar no estudo de suas propriedades.

Com o passar dos anos e o avanço nas pesquisas, o ácido glicólico foi se mostrando seguro e efetivo em todas as cores de pele, da mais clara até a pele negra.

Sua concentração ótima foi estudada tanto para peelings (que variam de 30 a 70%) quanto para cosméticos (que variam de 1 a 10%).

Hoje, dentre os AHAs, o ácido glicólico é o que possui a menor molécula. Sendo solúvel em água, penetra mais facilmente e rapidamente na pele que AHAs de moléculas maiores, rompendo as proteínas que mantém as células unidas, produzindo efeito esfoliativo.

Ele reduz a produção de melanina pela inibição de uma enzima chamada tirosinase, sendo interessante o uso no clareamento de manchas escuras da pele.

Sua ação repercute nas camadas mais profundas da derme, estimulando os fibroblastos a produzirem mais colágeno, elastina, glicosaminoglicanas.

O resultado disso é uma epiderme até 25% mais fina, o que reduz muito a aparência de rugas finas e cicatrizes de acne; uma pele até 25% mais firme, sendo um aliado na flacidez; uma pele mais uniforme, clareando pontos escuros e uniformizando o tom da pele; atividade seborreguladora e esfoliativa: menos propensão a desenvolver acne e poros menos dilatados.

Para resumir, estas são algumas das propriedades do ácido glicólico:

  • Clareador
  • Uniformizador
  • Esfoliante
  • Seborregulador
  • Reduz a aparência de rugas e cicatrizes
  • Deixa a pele mais firme

Há alguma contraindicação?

Não, praticamente todo mundo pode usar.

O ideal é consultar o seu dermatologista previamente.

Como a Creamy usa o ácido glicólico?

Quanto maior a concentração do ácido, maior será seu efeito positivo na pele.

A Creamy hoje tem o ácido glicólico com uma das maiores concentrações disponíveis em dermocosméticos: 10%. Além de ativos que ajudam a diminuir a irritação causada pela descamação. Clique aqui e conheça o produto.

REFERÊNCIA

Cosmetic and dermatologic use of alpha hydroxy acids; Philipp Babilas, Ulrich Knie, Christoph Abels; Journal of the German Society of Dermatology 2012; 10:488–491

Alfa-arbutin: o ativo que clareia manchas na pele

O alfa-arbutin é o isômero mais ativo do arbutin, uma molécula derivada da hidroquinona, encontrada nas folhas das uvas-ursi.

Qual é a função do alfa-arbutin na pele?

O alfa-arbutin clareia e uniformiza o tom de todos os tipos de pele.

Ele foi criado para acabar com os inconvenientes técnicos de um dos mais eficientes despigmentantes do mercado: a hidroquinona.

Além da sua instabilidade na presença da luz, a hidroquinona também apresenta caráter lesivo em contato com a pele, podendo causar séria irritação. Produtos contendo hidroquinona hoje são vendidos apenas com prescrição médica e não devem ser usados sem a supervisão de um dermatologista: a hidroquinona além de ser irritativa, pode causar irreversíveis manchas brancas no rosto.

Mas o arbutin veio para acabar com esses problemas. Sendo um derivado estável da hidroquinona, também tem ação inibidora da tirosinase (enzima que produz melanina), sem causar irritação e sem ser tóxica para as células da pele. Age reduzindo a produção da melanina no local onde é aplicada.

Além de minimizar manchas já existentes, o alfa-arbutin atua reduzindo o bronzeamento da pele após a exposição solar (o que reduz o efeito-rebote do melasma que ocorre no verão).

Há alguma contraindicação?

Não, praticamente todo mundo pode usar.

O ideal é consultar o seu dermatologista previamente.

Como a Creamy usa o alfa-arbutin?

O ativo está presente no Creamy Mandélico. Clique aqui para conhecer o produto.

REFERÊNCIAS

Cui T, Nakamura K, Ma L, Li JZ, Kayahara H. Analyses of arbutin and chlorogenic acid, the major phenolic constituents in oriental pear. J Agric Food Chem. 2005; 53:3882-7

Hipercromias: Formulário Médico Farmacêutico. 4 edição, São Paulo: Pharmabooks, 2011: 659p SOUZA & ANTUNES JUNIOR, Ativos Dermatológicos, ed. 10, São Paulo: Pharmabooks, 2013: 254p. Vol. 1 a 8

Niacinamida: conheça a vitamina que rejuvenesce a pele

A niacinamida (também chamada de vitamina B3, nicotinamida ou ácido nicotínico) é uma vitamina hidrossolúvel presente em muitos alimentos, inclusive carnes, vegetais, legumes, cogumelos, castanhas, peixe e até no café! Ela é essencial para vários processos do metabolismo e é recomendado o consumo de em média 20 mg de niacinamida ao dia na alimentação.

Qual é a função da niacinamida na pele?

A ação da niacinamida na pele é estudada há muito tempo. Ela é usada na dermatologia há mais de 50 anos e existem diversos artigos científicos abordando seus efeitos. Revisamos vários deles e trouxemos um resumo do que a comunidade científica vem falando.

Algumas propriedades da niacinamida:

  • Anti-aging
  • Anti-acne
  • Seborreguladora
  • Clareadora
  • Anti-inflamatória
  • Anti-vermelhidão
  • Hidratante
  • Cicatrizante

“Não é por acaso que a niacinamida é um dos ingredientes mais populares em cosméticos. Pelo fato de ser uma vitamina, ela é segura e praticamente isenta de efeitos colaterais importantes, e tem benefícios que se confirmam estudo após estudo. Com o passar do tempo, novas propriedades vêm sendo descobertas sobre essa molécula maravilhosa”, destaca o médico Luiz Romancini.

Melhora mesmo a textura da pele?

Sim!

O ativo aumenta a produção de colágeno e de outras proteínas que dão sustentação à pele, resultando em uniformidade e rugas suavizadas.

Ou seja: após o uso adequado e contínuo, há melhora dos sinais de envelhecimento cutâneo.

Outro desses sinais é a coloração amarelada, causada pela glicação (uma reação entre proteínas e açúcar), revertida com o uso da substância.

Além disso, a niacinamida estimula a produção natural de ceramidas e ácidos graxos livres, conferindo um poder hidratante e reparador da barreira da pele.

Todos esses resultados são possiveis devido às propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias e clareadoras da niacinamida.

É saudável?

Muito!

Além de ser uma vitamina e praticamente não apresentar efeitos colaterais, a niacinamida auxilia na prevenção e no tratamento de diversas patologias.

Ela se mostrou eficaz contra doenças de pele, só pra citar algumas: queratose actínica, melasma, dermatite atópica, psoríase e rosácea.

Sua ação cicatrizante repara não só a barreira, mas também o DNA da pele! Foi comprovado que a niacinamida ajuda a consertar o estrago feito pelo sol.

O ativo também promove redução da acne, tanto por regular a produção de sebo, quanto pela ação antibacteriana contra o P. acnes, a bactéria causadora da acne.

Há alguma contraindicação?

Não, praticamente todo mundo pode usar.

O ideal é consultar o seu dermatologista previamente.

Como a Creamy usa a niacinamida?

A vitamina aparece como um dos principais ingredientes que compõem o Creamy Glicólico. Clique aqui para conhecer o produto.

REFERÊNCIAS

NIACINAMIDA E DERMATOLOGIA, LUCAS PORTILHO, HERMANO PACHECO, Brazilian Journal of Surgery and Clinical Research – BJSCR, Vol.15,n.3,pp.123-129 (Jun – Ago 2016)

Nicotinamide: Mechanism of action and indications in dermatology, Bains, et al, Indian Journal of Dermatology, Venereology and Leprology | Volume 84 | Issue 2 | March-April 2018 237

Nicotinamide in dermatology, E. Forbat et al. Clinical and Experimental Dermatology (2017) 42, pp137–144

Nicotinamide for skin cancer chemoprevention, Diona L Damian, Australasian Journal of Dermatology (2017) 58, 174–180