Alfa-hidroxiácidos e beta-hidroxiácidos: tudo o que você precisa saber

Alfa-hidroxiácidos e beta-hidroxiácidos: tudo o que você precisa saber

Atualizado em Nov 29, 2021 nenhum comentário CIÊNCIA
Tempo de leitura: 4 minutos

Os alfa-hidroxiácidos e beta-hidroxiácidos, também conhecidos como AHAs e BHAs, são grupos de ácidos bastante utilizados como esfoliantes químicos nos cuidados com a pele. Eles proporcionam diversos benefícios e são ótimos adjuvantes no tratamento de manchas, acne, oleosidade, poros dilatados, linhas de expressão, e por aí vai. 

Apesar da popularidade, ainda existem muitas dúvidas acerca do modo de uso dos hidroxiácidos e dificuldades na hora de escolher a melhor opção. Afinal, quais são os alfa e beta-hidroxiácidos? Existem diferenças entre eles?  Como inseri-los na rotina de skincare? Aqui você encontra todas as respostas e dicas importantes sobre o assunto. 

Alfa-hidroxiácidos: conheça os AHAs

Resumidamente, os AHAs são aqueles ácidos solúveis em água, derivados de frutas e cereais. Alguns exemplos: Ácido Glicólico (originário da cana de açúcar), Ácido Lático (do leite), Ácido Mandélico (das amêndoas amargas) e Ácido Cítrico (das frutas cítricas, como limão e laranja). 

De acordo com inúmeros estudos, os alfa-hidroxiácidos possuem um poderoso efeito nas desordens cutâneas associadas à queratinização, deixando a superfície da pele mais fina e homogênea, o que melhora a textura, aparência dos poros, hiperpigmentações e microrrelevo da pele. 

São recomendados para tratar acne, cicatrizes, manchas escuras, sinais de envelhecimento, entre outras condições. Os AHAs têm propriedades hidratantes e estimulam a síntese de colágeno, deixando a pele mais luminosa e firme. 

A Dra. Fabiane Caires, dermatologista especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, explica que a ação renovadora é o segredo para o sucesso dos alfa-hidroxiácidos: “a esfoliação diminui a coesão entre as células, acelerando a renovação celular”. 

Beta-hidroxiácidos: quais são? 

Enquanto os AHAs são solúveis em água, os BHAs são solúveis em gordura. A Dra. Thais Leibovitz, dermatologista, explica que “é uma classe de ácidos usados para tratamentos da pele com a fórmula química contendo um grupo hidroxi na posição beta”. 

O único representante deste grupo é o Ácido Salicílico, conhecido por sua função queratoplástica e queratolítica, que age diminuindo a espessura da camada córnea. Com propriedades esfoliantes, seborreguladoras e anti-inflamatórias, o BHA promove a renovação celular enquanto diminui o espessamento da pele, reduzindo a formação de acnes (espinhas e comedões), os poros dilatados e o excesso de oleosidade. 

Além de ser usado para o controle da acne e oleosidade, também é bacteriostático e fungicida, auxiliando em vários outros tratamentos dermatológicos. A Dra. Thais complementa: “devido à sua função esfoliante, o ácido salicílico ainda melhora a aparência da pele fotoenvelhecida, corrigindo rugas finas e a textura”. 

AHAs e BHAs: todo mundo pode usar?  

No geral, os alfa-hidroxiácidos podem ser utilizados por todos os tipos de pele, mas tudo depende da concentração. Ácidos mais concentrados, como o Glicólico 10% Creamy, são recomendados para peles mais tolerantes. 

Já o beta-hidroxiácido é mais recomendado para peles oleosas e com tendência a acne, pois – como mencionamos acima – auxilia na diminuição da produção de oleosidade e, consequentemente, na desobstrução dos poros.

“O Dermatologista é o profissional mais indicado para diagnosticar doenças de pele que podem piorar com o uso de um cosmético não apropriado”, alerta a Dra. Fabiane. A dica para entender quais hidroxiácidos utilizar no skincare e o melhor tratamento para sua pele, de acordo com a necessidade, é consultar um médico da área.

Como todos os ácidos, os AHAs e BHAs não são recomendados para pessoas com inflamações, irritações ou infecções na pele. Gestantes e lactantes devem usar somente com prescrição médica. 

Como usar AHAs e BHA no skincare

Os hidroxiácidos devem ser aplicados conforme orientação do fabricante ou dermatologista. “No início das aplicações, o novo cosmético deve ser inserido aos poucos na rotina, isto é, em pequena quantidade e em noites alternadas – até duas vezes por semana”, destaca a dermatologista Fabiane. 

Ela afirma que é muito importante hidratar a pele durante o tratamento com ácidos. “A hidratação é um passo importante e indispensável em todo skincare, independente do tipo de pele, principalmente nas rotinas que contemplam ácidos para diminuir o risco de sensibilização e irritações”. 

O protetor solar também é obrigatório durante todo o período de tratamento com os ácidos, pois a pele fica mais sensível a queimaduras e manchas solares. A dermatologista Thais dá a dica: “escolha um filtro solar adequado para o seu tipo de pele e reaplique várias vezes ao longo do dia”.

O BHA é um ácido mais suave, e pode ser utilizado sozinho ou combinado com os AHAs, quando a pele já estiver adaptada aos ativos. O skip-care, nova tendência do skincare, sugere um ritual mais simples, com menos passos e cosméticos multifuncionais. ​​Confira abaixo a sugestão da Dra. Fabiane de como usar AHAs e BHAs na mesma rotina

Rotina diurna 

  1. limpeza da pele;
  2. aplicação do BHA;
  3. hidratação;
  4. antioxidante;
  5. protetor solar.

Rotina noturna com alfa e beta-hidroxiácido

  1. limpeza da pele;
  2. aplicação do BHA (caso a pele não apresente sintomas de irritação);
  3. hidratação;
  4. aplicação do alfa-hidroxiácido recomendado pelo dermatologista. 

Ácido para pele? Conte com a Creamy!

Quer incluir os alfa-hidroxiácidos e beta-hidroxiácidos nos seus cuidados com o rosto? Aposte nas fórmulas da Creamy! Nossos produtos se destacam por combinações sinérgicas de ativos em ótimas concentrações. Resultados incríveis e visíveis para todos os tipos de pele.

(Visited 278 times, 1 visits today)

compartilhe esse conteúdo:

Carolinne Moraes

Jornalista focada em comunicação digital, curitibana e mãe de gatos.

comentários

Copyright © Creamy 2022. Todos os direitos reservados. Todas as marcas e suas imagens são de propriedade de seus respectivos donos. É vedada a reprodução, total ou parcial, de qualquer conteúdo sem expressa autorização.
#