Como saber o tratamento para acne ideal para sua pele?

Como saber o tratamento para acne ideal para sua pele?

Atualizado em Jun 30, 2021 8 comentários CIÊNCIA
Tempo de leitura: 6 minutos

A acne, também conhecida como acne vulgar, é uma doença de pele bem comum e não contagiosa. Com ela, surgem as temidas espinhas e cravos, que podem causar incômodo e até mesmo cicatrizes na pele. Por isso, escolher o tratamento para acne ideal para a sua pele é uma das formas mais eficazes de se livrar desse mal.

O processo que desencadeia a acne é inflamatório e ocorre quando os nossos folículos pilosos ficam obstruídos por sebo ou células mortas. Se você quer se livrar desse problema, descubra os tipos de acne com a gente e entenda o melhor tratamento para cada um!

O que é a acne vulgar? 

Antes de entender os tipos de acne, é preciso saber o que é a acne vulgar. Normalmente, essa doença dermatológica não vem acompanhada de muitas complicações ao nosso corpo. Contudo, a falta de um tratamento eficaz pode fazer surgir manchas e cicatrizes de acne na pele, além de atingir o lado psicológico.

A acne aparece quando acontece a combinação de 4 fatores (ou etapas) no folículo piloso. Elas, em conjunto, resultam na formação e na inflamação do comedão:

  • produção excessiva de sebo;
  • hiperqueratinização do folículo piloso, isto é, o excesso de queratina produzida pela pele obstrui o folículo, impedindo a saída do sebo e acumulando restos celulares dentro do folículo;
  • colonização desse folículo pela bactéria Cutibacterium acnes;
  • reação inflamatória na região do folículo obstruído, com o consequente acúmulo de restos celulares, pus e sebo, formando a lesão pustulosa da acne.

Quando há um crescimento bacteriano no interior do folículo, a inflamação aumenta, acumulando pus e provocando as espinhas. As áreas mais afetadas são rosto, peito, costas e ombros.

As manifestações da acne incluem comedões (cravos) abertos (brancos) ou fechados (pretos), pápulas (pequenas lesões elevadas, endurecidas e avermelhadas), pústulas (pápulas com pus, ou apenas espinhas), nódulos e cistos (lesões maiores e em camadas mais profundas da pele). 

Os 5 tipos de acne principais

Existem diversos tipos de acne e graus, desde o mais leve ao mais grave, que exigem tratamentos de acne diferentes. De acordo com a característica clínica das lesões acneicas, e como mostra o estudo Acne: diferentes tipologias e formas de tratamento, a acne é classificada em cinco graus de acometimento: 

  • Grau 1: acne com comedões e pápulas;
  • Grau 2: acne pápulo-pustulosa;
  • Grau 3: acne nódulo-cística;
  • Grau 4: acne conglobata;
  • Grau 5: acne fulminans.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD), a manifestação da acne está relacionada ao comportamento de hormônios sexuais masculinos ou andrógenos. Eles são produzidos tanto em homens quanto em mulheres. 

“A elevação de níveis hormonais durante a adolescência provoca aumento da produção de gordura pelas glândulas sebáceas da pele.” Apesar de ser mais comum na puberdade, a acne também atinge jovens e adultos com mais de 40 anos. No entanto, as alterações hormonais não são as únicas causas para a doença.

Outros fatores, como predisposição genética, alimentação rica em gorduras, cremes faciais inadequados e até estresse podem desencadear ou piorar o problema. As causas da doença têm relevâncias diferentes de acordo com a pessoa, sendo importante uma abordagem multidisciplinar para o tratamento para acne certo e controle do quadro. 

Grau 1: acne comedônica ou não inflamatória 

A acne grau 1, chamada de acne comedônica, é a mais comum e frequente durante a puberdade. Estudos indicam que ela acomete ambos os sexos e está presente em cerca de 85% dos adolescentes. 

Esse tipo de acne não tem a presença de inflamação com pus, apenas cravos (abertos ou fechados) que surgem especialmente na testa, nariz e bochechas. Não doem, mas podem gerar incômodos.

Grau 2: acne pápulo-pustulosa

Classificada como acne grau 2, a acne pápulo-pustulosa é marcada por comedões, pápulas e pústulas, com a presença de espinhas com pus e elevações na pele que podem ser bastante dolorosas. 

Aqui, a acne surge devido à inflamação das glândulas sebáceas, causada pela proliferação intensa de bactérias no local. Com duração prolongada e insistente, esse tipo costuma deixar manchas de acne na pele e induzir consequências psicossociais. 

tratamento para acne

Grau 3: acne nódulo-cística 

A acne grau 3, conhecida como acne nódulo-cística, pode ser resumida por uma das coisas mais apavorantes relacionadas ao assunto: as espinhas internas. Esse tipo de acne possui a presença de nódulos internos que surgem principalmente no rosto, costas e tórax, e são extremamente doloridos. 

Grau 4: acne conglobata

Chegamos ao grau 4, composto pela acne conglobata. Trata-se de um tipo de acne grave que predispõe a formação de cistos grandes e inflamações exacerbadas. A principal característica é um conjunto de lesões próximas umas das outras, com a presença de pus e múltiplos abscessos, que causam deformação da pele e cicatrizes.  

Grau 5: acne fulminans

No grau 5, o mais grave de todos, está o mais raro dos tipos de acne: a acne fulminante ou acne fulminans. As lesões são semelhantes às da acne conglobata, porém maiores, mais extensas e acometem uma extensão maior do corpo.

Além disso, também causam sintomas como febre, dor nas articulações e mal-estar. Ela é observada quase que exclusivamente em homens e aparece no rosto, no peito e nas costas. Sua ocorrência, felizmente, é bem rara. 

Como tratar?

A acne tem tratamentos diferentes de acordo com o seu tipo, ou seja: grau de inflamação, características e causas associadas ao problema. Existem muitas formas de tratamento, que incluem cosméticos, medicamentos e procedimentos estéticos. 

No geral, os tratamentos são divididos em cinco grupos: 

  • Profilático: cuidados especiais, como a higiene adequada e o uso de produtos cosméticos indicados para melhorar a acne. Outras medidas estão no estilo de vida, como manter uma dieta balanceada, atividade física regular e controle do stress;
  • Medicamentoso: seja com medicamentos tópicos ou orais, visa um controle mais rápido para graus mais graves de acne;
  • Cirúrgico: reservado para lesões muito graves, que não drenam espontaneamente e que requerem pequenos procedimentos de drenagem de pseudocistos e abscessos formados pela acne;
  • Tratamentos adjuvantes: incluem limpeza de pele, uso de tecnologias como lasers, luz pulsada e fototerapia. Sozinhos não controlam a doença, mas podem oferecer uma melhora mais rápida quando associados a outros tratamentos convencionais;
  • Alternativos: pode-se listar a acupuntura, fitoterapia, etc., que ainda estão tendo suas eficácias e indicações estudadas.

Casos mais leves podem ser controlados com uma rotina de skincare, incluindo cosméticos voltados à pele acneica. Conforme a gravidade do quadro aumenta, também aumenta a necessidade de um acompanhamento médico mais criterioso e a escolha de tratamentos medicamentosos.

Cada caso é único, por isso, o melhor é consultar um dermatologista de sua confiança para realizar a avaliação adequada. Assim, o profissional poderá recomendar o tratamento mais indicado para cada pele, bem como outros acompanhamentos que possam ser necessários.

Além disso, nunca se deve espremer cravos e espinhas, pois isso pode causar risco de infecção e manchas. A não ser, é claro, que isso seja feito por um especialista, com o auxílio de todos os produtos e equipamentos necessários. Quanto mais cedo o tratamento para acne começar, mais efetivo ele será.

A Creamy te ajuda!

As fórmulas da Creamy são leves e inteligentes, e nossos produtos são seus aliados no tratamento para acne. Com a nossa vitamina C, por exemplo, você consegue uniformizar o tom da pele, deixando-a mais iluminada, hidratada e protegida. Não deixe de conferir e escolher o melhor Creamy para te acompanhar nessa trajetória!

REFERÊNCIAS

Acne: diferentes tipologias e formas de tratamento

Acne – Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD)

Etiopathogenic features of acne vulgaris

Artigo original de Carolinne Moraes

(Visited 3.632 times, 2 visits today)

compartilhe esse conteúdo:

Creamy

comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 Comentários

Tiffany 15/05/2021

Posso usar o creamy rosa estando com espinhas inflamadas e aparentes?

Carol Moraes 17/05/2021

Oi, Tiffany!
Pode usar sim, o Creamy rosa vai auxiliar na melhora da sua pele. 💖

Maria Eduarda 26/06/2021

qual creamy me ajudará nos buraquinhos (cicatrizes) na pele causados pela acne?

Carol Moraes 28/06/2021

Oi, Maria Eduarda!
Para melhorar a textura da pele, você pode escolher entre o azulzinho e o amarelinho.
Já para clarear as manchinhas de acne, a dica é a dupla verdinho + rosinha. 😉

Andrea 26/06/2021

Olá tenho espinha e manchas escuras qual ideal para usar na minha pele

Carol Moraes 28/06/2021

Oi, Andrea!
Os AHAs da Creamy (mandélico, lático e glicólico) são incríveis para combater a acne. Como você tem manchinhas mais escuras, a melhor pedida é o Creamy Tranexâmico (verdinho), que também previne novas hiperpigmentações, junto com o Mandélico (rosinha), que clareia ao mesmo tempo que combate a oleosidade. Você pode usá-los na mesma rotina de skincare noturna para garantir resultados ainda melhores.
De dia, é indispensável o uso de um antioxidante (Vitamina C) e protetor solar logo em seguida. 🧡
É sempre bom consultar um dermatologista para te ajudar na escolha do melhor tratamento, considerando as particularidades da sua pele.

Pollyana 27/06/2021

Adorei o artigo! Muito informativo e esclarecedor. Estou com adolescente em casa e consegui esclarecer minhas dúvidas! Obrigada!

Carol Moraes 28/06/2021

Oi, Pollyana!
Agradecemos o seu feedback. 🥰
Continue acompanhando nossas matérias por aqui. 😘❤️

Copyright © Creamy 2021. Todos os direitos reservados. Todas as marcas e suas imagens são de propriedade de seus respectivos donos. É vedada a reprodução, total ou parcial, de qualquer conteúdo sem expressa autorização.
#