Foliculite no rosto, na perna, nas nádegas… como acabar com ela?

Foliculite no rosto, na perna, nas nádegas… como acabar com ela?

01/10/2021 nenhum comentário DICAS E TUTORIAIS
Tempo de leitura: 4 minutos

Uma coisa é certa: se a foliculite ainda não te incomodou, qualquer hora ela aparece! Este é um problema bastante comum, já que a nossa pele é quase que totalmente protegida pelos folículos pilosos (mais conhecidos como pelos). E o que os pelinhos do corpo têm a ver com isso? Absolutamente tudo! 

Para saber como acabar com a foliculite é essencial entender o que ela é. Trata-se de uma infecção que começa nos folículos pilosos, ou seja, o famoso  (e tão incômodo) pelo encravado.

O professor Dr. Lauro Rodolpho Soares Lopes, especialista em dermatologia, detalha melhor: “A foliculite ocorre quando a base do folículo piloso é invadida por uma série de células inflamatórias, que geram uma lesão vermelha e com um pontinho de pus na superfície”. 

Foliculite ou acne?

A inflamação dos pelos parece pequenas espinhas na pele, com as pontas brancas de pus, por isso é muito confundida com a acne. Então, como descobrir se é mesmo foliculite? O Dr. Lauro conta que existe uma diferença básica entre as duas infecções. 

“A acne é multifatorial e acomete os folículos sebáceos, onde ocorre uma ruptura desse folículo e, assim, a formação das acnes com obstrução dos poros e infecção por bactérias. Ela afeta principalmente a região do colo, dos ombros e da face, que possuem folículos sebáceos”, compartilha.

“Já a foliculite não tem relação com a oleosidade, e surge nos pelos terminais, que são mais grossos, como os pelos da barba, da região pubiana e das pernas”.

Apesar de ser superficial na maioria dos casos, a foliculite no rosto ou em outras áreas pode provocar sintomas de irritação, como coceira, vermelhidão, ardência, dor e sensibilidade na região. É importante lembrar que apesar do incômodo que as lesões podem causar, elas não devem ser espremidas, visto que isso pode aumentar o surgimento de manchas e até cicatrizes.

Regiões do corpo mais afetadas pela foliculite 

As áreas mais afetadas pela foliculite são as regiões que as pessoas depilam mais, ou que possuem maior atrito. “No caso das mulheres, ela costuma aparecer na virilha, nas pernas, nos braços, nas nádegas e nas axilas. Nos homens, acontece mais na região do pescoço, do rosto (especialmente pós-barba) e no peito”, compartilha o professor.  

“A região da virilha tem um atrito das coxas, já o bumbum tem o atrito da calça jeans, por exemplo. Quem passa muito tempo sentado também é propenso à foliculite nas pernas e nádegas. O problema ainda atinge o couro cabeludo”, explica. 

foliculite entrevista
Dr. Lauro Rodolpho Soares Lopes dá dicas para prevenir a foliculite.

Dicas para acabar com a foliculite no rosto e outras áreas

Para evitar a inflamação dos pelos, o Dr. Lauro dá a dica: diminuir a frequência de depilação ou  procurar métodos depilatórios definitivos ou mais progressivos, como é o caso do laser, que afina os pelos, deixando-os menos suscetíveis a esse tipo de infecção, além de interromper o crescimento.  

“Outra forma de evitar a foliculite é usar roupas mais folgadas e de algodão, a fim de diminuir o atrito na pele. Hidratar a pele também é fundamental para fortalecer a barreira cutânea”, indica.

Aposte em um hidratante facial com ativos calmantes capazes de evitar e minimizar os sintomas de irritação, como as bolinhas vermelhas.  

Procurando dicas para evitar a foliculite na barba? Clique aqui!

Quem tem foliculite deve fazer todo manejo de prevenção. A esfoliação é outro hábito para incluir na rotina de skincare, pois ajuda na renovação celular, prevenindo a inflamação dos folículos. Ah! E não esqueça do básico: manter a pele limpa e seca. Afinal, quanto mais limpa ela estiver, menores são as chances de infecção por bactérias e fungos.

E o tratamento?

“O tratamento consiste no uso de sabonetes antissépticos associado ao uso de produtos que contenham antibióticos. Alguns tipos de ácidos leves servem para esfoliar e ajudar no clareamento das manchas residuais que ficam depois da inflamação da foliculite”, afirma o especialista. Opte por ácidos como o lático, mandélico e glicólico.

No geral, o problema de pele se cura sozinho, após alguns dias. Já em casos mais graves e recorrentes, é preciso consultar um dermatologista, que fará uma avaliação completa para entender qual é a melhor forma de tratamento da foliculite.  

“Procurar um dermatologista de confiança é importante para encontrar o tratamento adequado. O profissional vai recomendar os cosméticos certos e ensinar algumas medidas de prevenção, de acordo com seu caso”, finaliza o professor e Dr. Lauro. 

Assim, com essas medidas simples, conseguimos um bom controle e, algumas vezes, até a cura da foliculite.

(Visited 1.435 times, 1 visits today)

compartilhe esse conteúdo:

Carolinne Moraes

Jornalista focada em comunicação digital, curitibana e mãe de gatos. Adepta ao estilo de vida Creamy: somente o essencial.

comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © Creamy 2021. Todos os direitos reservados. Todas as marcas e suas imagens são de propriedade de seus respectivos donos. É vedada a reprodução, total ou parcial, de qualquer conteúdo sem expressa autorização.
#