Outubro Rosa: mastologista compartilha fatos sobre o câncer de mama

Outubro Rosa: mastologista compartilha fatos sobre o câncer de mama

Atualizado em Oct 19, 2021 nenhum comentário CIÊNCIA
Tempo de leitura: 7 minutos

Há alguns anos, outubro chega rosa no Brasil e no mundo, com o propósito de mostrar a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama. A campanha tem como objetivo difundir informações de qualidade sobre o tema e incentivar a realização do autoexame, ultrassom de mamas e mamografia para possibilitar a detecção desta patologia que é responsável por mais de 28% dos casos de câncer no país.

E é claro que o Creamy Blog não poderia deixar de compartilhar conhecimento em prol desta campanha tão especial, mundialmente celebrada. 

Convidamos a Dra. Mariana Rosário, mastologista, ginecologista e obstetra, para tirar as principais dúvidas relacionadas ao câncer de mama. A profissional destaca o que toda mulher precisa saber e ainda dá dicas para se manter longe do problema. 

Outubro Rosa: o que é e como surgiu?

O Outubro Rosa é um movimento mundial de conscientização para o controle do câncer de mama. Como explica o Instituto Nacional de Câncer (INCA), a data foi criada no início da década de 1990 pela Fundação Susan G. Komen for the Cure, na cidade de Nova York, nos Estados Unidos. 

A campanha surgiu com o intuito de conscientizar a população sobre a doença; facilitar o acesso aos serviços de diagnóstico e tratamento; e, principalmente, reduzir a mortalidade das mulheres. No Brasil, o movimento chegou a São Paulo em 2002, mas só ganhou força em outras cidades brasileiras em 2008.

Câncer de mama no Brasil e no mundo

O câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação de células anormais da mama, e pode se desenvolver de diferentes formas. Este é o segundo tipo que mais mata mulheres ao redor do mundo, ficando atrás apenas dos cânceres de pele do tipo não melanoma. De acordo com informações da Fiocruz, a doença tem 95% de chance de cura se for descoberta no início. 

“Esse prognóstico é um acalanto para nós, mulheres, porque os tratamentos estão cada dia mais avançados. Porém, é preciso que o acesso aos exames, como ultrassonografia mamária e mamografia, sejam universalizados”, conta a Dra. Mariana Rosário, mastologista com especialização pelo Instituto Europeu de Oncologia, com sede em Milão.

“Com a pandemia, muitas mulheres deixaram de passar por consultas e de realizar exames e, agora, é hora de recuperar o tempo perdido”, alerta a especialista, que também é ginecologista e obstetra.

6 fatos que toda mulher precisa saber

Com os tratamentos cada dia mais avançados, hoje existe um alto índice de cura do câncer de mama, mas a Dra. Mariana alerta que as mulheres não podem se descuidar. Pensando nisso, ela listou seis fatos importantes que toda mulher precisa saber sobre a doença. Olha só:

outubro rosa câncer de mama
A mastologista Mariana Rosário alerta que exames como ultrassom de mamas e mamografia são fundamentais para a detecção da doença.

1. O câncer de mama é o mais comum entre as mulheres em todo o mundo 

E também no Brasil! Isso sem contar os cânceres de pele não melanoma. É, ainda, o tipo de câncer que mais mata mulheres, especialmente na faixa etária de 40 a 69 anos.

2. Pode ser hereditário ou ocasional 

Assim, mulheres que não têm parentes com a doença também podem ser acometidas.

3. A mamografia anual deve ser realizada a partir dos 40 anos

No Brasil, a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM), o Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (CBR) e a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO) recomendam a mamografia anual para as mulheres a partir dos 40 anos de idade, visando o diagnóstico precoce e a redução da mortalidade. 

Tal medida difere das recomendações atuais do Ministério da Saúde, que preconiza o rastreamento bianual, a partir dos 50 anos, excluindo dos programas de rastreamento uma faixa importante da população (mulheres entre 40-49 anos), responsável por cerca de até 20% dos casos de câncer de mama. 

Quando há casos de câncer de mama na família, a situação muda: as mulheres precisam ser investigadas dez anos antes da idade em que apareceu o câncer em sua parente. Para que se entenda melhor, se sua mãe, tia ou irmã teve câncer de mama aos 30 anos, você deverá fazer mamografia a partir dos 20 anos.

4. O autoexame não substitui exames médicos

Para aquelas que acreditam que o autoexame de mamas substitui consultas e a mamografia, a Dra. Mariana deixa um alerta: “Apenas equipamentos muito avançados são capazes de detectar até as menores calcificações e quando a mulher percebe algum nódulo, ele já está muito grande. Então, o correto é fazer ultrassom e mamografia, conforme a indicação para cada perfil de paciente”.

Por isso, lembre-se: a palpação é importante, mas somente os exames de imagem conseguem diagnosticar microcalcificações e nódulos bem pequenos, permitindo maiores chances de sucesso no tratamento e de cura.

5. O estilo de vida ajuda na prevenção 

Muitas mulheres pensam que os exames são os responsáveis pela prevenção, mas isso não é correto! Para que se entenda melhor, exames são formas de se diagnosticar doenças – logo, são importantíssimos e indispensáveis. No caso do câncer de mama, quanto mais cedo a doença é diagnosticada, maior é a chance de o tratamento levar à cura da paciente. Mas, realizar exames não significa que uma mulher não desenvolverá a doença. 

Já o estilo de vida pode interferir no desenvolvimento do câncer de mama. Mulheres que fumam, são obesas, usam álcool em excesso e fazem terapia de reposição hormonal por tempo prolongado têm mais chance de desenvolver a doença. 

Portanto, a profissional dá a dica: “adotar boa alimentação, controlar o peso e praticar atividades físicas regulares, mantendo-se longe do cigarro e do álcool, podem ajudar na prevenção da doença”.

6. Sinais do câncer de mama na pele

O sinal mais preocupante deste câncer é o nódulo na mama ou axila. “Aí está a importância de fazer o autoexame e conhecer melhor o seu tecido mamário. Embora não substitua um exame médico, esta é uma forma de promover o autoconhecimento”, diz a mastologista. 

Ela ressalta que o corpo da mulher dá diversos sinais de alerta que vão além dos caroços. Na pele, os sintomas aparecem em doenças mais avançadas. “A primeira coisa que pode acontecer é o nódulo crescer tanto que se exterioriza e necrosa a pele, em casos já muito avançados. Outro sintoma é a chamada ‘pele em casca de laranja’ que deixa-a endurecida, sendo capaz de ver todos os poros. 

Ainda existe a Doença de Paget, que é como se fosse um eczema e possui forte correlação com o câncer de mama. Ela provoca uma descamação da aréola do seio, com coceira, vermelhidão e prurido, de preferência unilateral. “No aparecimento destes sintomas, é importante procurar por orientação médica”, conclui. 

Outubro Rosa: tratamento do câncer de mama hoje

As modalidades de tratamento do câncer de mama são divididas em tratamento local (com cirurgia e radioterapia) e tratamento sistêmico (com quimioterapia, hormonioterapia e imunoterapia).

De acordo com o INCA, o prognóstico da doença depende da sua extensão, assim como das características do tumor. Quando a doença é diagnosticada no início, o tratamento possui maior chance de cura. Quando há evidências de metástases, o tratamento visa melhorar a qualidade de vida e prolongar a sobrevida.

Apenas um profissional da área poderá identificar a melhor forma de tratamento, que pode variar bastante de paciente para paciente. “O câncer de mama é uma doença que muda durante seu desenvolvimento, gerando novos comportamentos e respostas. Nunca é igual, cada pessoa possui uma condição diferente. Por isso, exige um tratamento personalizado”, explica a mastologista.

Creamy: muito mais do que skincare

Sim, estamos sempre te ajudando a cuidar da sua pele diariamente, mas o maior lembrete do mês é se prevenir contra o câncer de mama. Realize o autoexame com um toque de carinho e não deixe de fazer o ultrassom de mamas e mamografia quando necessário. Em caso de alguma suspeita da doença, busque imediatamente auxílio médico. 

Ah! Para homenagear esta ação tão importante, neste Outubro Rosa você poderá escolher uma ONG de apoio ao câncer de mama para destinar parte do valor da sua compra no site da Creamy. O melhor de tudo é que você não precisa pagar nada a mais por isso, basta escolher uma causa para apoiar. São três opções de projetos confiáveis e auditados pelo Polen: Américas Amigas, Cabelegria e SOS do Câncer

Conta pra gente, como você tem cuidado da saúde de suas mamas? Não se esqueça de compartilhar este conteúdo com as mulheres que você ama! Continue acompanhando o Creamy Blog para mais informações úteis. 

* Artigo produzido em parceria com a assessoria da médica convidada.

(Visited 288 times, 1 visits today)

compartilhe esse conteúdo:

Carolinne Moraes

Jornalista focada em comunicação digital, curitibana e mãe de gatos.

comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Copyright © Creamy 2022. Todos os direitos reservados. Todas as marcas e suas imagens são de propriedade de seus respectivos donos. É vedada a reprodução, total ou parcial, de qualquer conteúdo sem expressa autorização.
#