Posts by Carol

Ácido glicólico previne o envelhecimento

Skincare é uma ótima alternativa para quem deseja prevenir o envelhecimento. E o ácido glicólico é um grande aliado.

Aqui no blog, já falamos das propriedades poderosas desse ativo, que é:

  • Clareador;
  • Uniformizador;
  • Esfoliante;
  • Seborregulador;
  • Redução de rugas e cicatrizes;
  • Pele mais firme.

Mas como o ácido glicólico previne o envelhecimento?

Segundo as bioquímicas Isabela Sousa Borges e Cláudia Peres da Silva, no artigo Peeling Químico No Tratamento De Mãos Com Fotoenvelhecimento, publicado na Revista Multidisciplinar da Faculdade do Noroeste de Minas, a FINOM: “O envelhecimento precoce que ocorre em pessoas com grande exposição ao sol e a luzes diretas como de computadores proporciona o aparecimento de rugas, manchas senis e sulcos ao tecido cutâneo”.

Segundo a pesquisadora Ana Claudia Zdebski, no artigo Utilização do ácido glicólico a 10% para revitalização de peles maduras, publicado na Revista Thêma et Scientia: “A ação do ácido glicólico como querato-regulador (inibindo a coesão dos corneócitos) promove maior flexibilidade, hidratação, aumento das fibras de colágeno e elastina”.

Os médicos Rômulo Mêne, Wilson Rubens Andreoni, Paulo Moraes e Odinaldo Mendonça também ressaltam, no artigo Peeling químicos combinados: “Outra hipótese de como o ácido glicólico atua atenuando as rugas é pelo fato de aumentar a síntese da glicosaminoglicana e outras substâncias da matiz intercelular da derme humana. A glicosaminoglicana é uma proteína multiramificada e tem a propriedade de fixar a molécula de H2O em suas intermináveis ramificações. Por este fato é possível reter água no interior da derme, o que contribui para aumentar o turgor da pele e com isto conseguir uma diminuição das rugas superficiais e médias”.

Como fazer um tratamento domiciliar com ácido Glicólico?

Se você está procurando um ácido glicólico para sua rotina de skincare, saiba que o Cremy Glicólico é um hidratante profundo que uniformiza a pele, melhora a textura e reduz os poros. Além disso, tem ativos poderosos como: niacinamida, que controla o brilho, textura, hidrata a pele e suaviza as manchas; e o alfa-bisabolol que é um regenerador celular, o que minimiza os efeitos colaterais do ácido.

Para aplicá-lo, o primeiro passo é higienizar a pele. “Essa limpeza prévia da pele, antes do uso da medicação domiciliar, faz com que haja melhor atuação dos produtos em uso (normalmente teremos uma potencialização do tratamento)”, dizem Rômulo Mêne, Wilson Rubens Andreoni, Paulo Moraes e Odinaldo Mendonça.

Feito isso, passe uma fina camada do ácido glicólico sobre a pele – de preferência à noite. Durante os 10 primeiros dias, aplique pequenas quantidade em noites alternadas. Para decidir se é possível aumentar ou diminuir a frequência de uso do produto, observe a aceitação da sua pele. E não se esqueça de protegê-la com protetor solar todos os dias para evitar manchas ou irritação.

Confira como aplicar o ácido da Creamy: Rotina de skincare: qual é a ordem correta.

Ácidos para pele negra: quais escolher e como usar?

Quais são os melhores ácidos para pele negra e os principais cuidados que devem ser tomados no uso desses produtos? Perguntamos essas e outras questões para a dermatologista Camila Angelo Rosa, especialista em pele negra.

Confira o bate-papo!

Creamy: Quais são os ácidos mais indicados para pele negra?

Camila: Não há contraindicações, você pode utilizar praticamente todos os tipos de ácidos na pele negra.

Creamy: Que tipo de cuidado é necessário tomar?

Camila: Saiba, junto ao seu dermatologista, como associá-los e quais concentrações você pode usar. É preciso tomar cuidado com a concentração e o potencial de irritação de cada ácido. Pois se houver irritação, o risco de hipercromia – manchas –  é alto. Além disso, é fundamental associá-los com hidratantes e protetor solar.

Creamy: O ácido mandélico e alfa-arbutin vão bem na pele negra?

Camila: Sim, ambos são ácidos bem tolerados pela pele negra.

Creamy: E o de ácido glicólico e a niacinamida?

Camila: A maioria dos ácidos podem ser usados na pele negra, o que precisa ser adequado é o veículo e a concentração. Isso inclui o ácido glicólico e a niacinamida.

Converse sempre com seu dermatologista de confiança para ver se a aplicação é adequada na sua pele.

Creamy: A pele negra tende a ser mais oleosa?

Camila: Sim, isso porque as glândulas sebáceas são um pouco maiores. Porém, não é ruim do ponto de vista da hidratação e do envelhecimento da pele, mas incomoda as pessoas.

Creamy: Como controlar a oleosidade?

Camila: Em excesso, são necessários tratamentos que reduzem a produção de sebo. Na pele oleosa, a preferência é por produtos com o veículo em gel, sérum, aquoso.

Creamy: Ácidos cremosos são contraindicados para quem tem a pele oleosa?

Camila: Não, os ácidos cremosos devem ser utilizados, principalmente quando têm a intenção de diminuir o potencial de irritação.

Creamy: Quais são as indicações para peles negras secas ou mistas?

Camila: Para peles sem alterações use produtos para uma rotina de cuidados e manutenção que incluem sabonete, de preferência com uma tecnologia Syndet, – isso é, que respeita o pH da pele e não resseca –, hidratante e protetor solar. Acrescente também à rotina o antioxidante.

E aí, tirou suas dúvidas?

Lembrando que os ácidos glicólico e niacinamida estão presentes no Creamy Azul. Já os ácidos mandélico e alfa-arbutin compõem o Creamy Rosa. Consulte seu dermatologista e use com segurança!

Como tirar mancha de espinha do rosto?

A chamada espinha é uma doença inflamatória da pele, muitas vezes crônica, que se apresenta em graus variados – ou quadros clínicos variados. Geralmente surge em pápula, quando é só uma bolinha avermelhada; e em pústula, quando apresenta pus. Sim, é terrível só de ler.

O dano de uma espinha no rosto não é apenas estético. Uma pele acneica pode prejudicar a autopercepção, causando danos emocionais.

E é algo tão incômodo que acabamos tentando a todo custo acabar com elas, o que pode não ser uma boa ideia. Por isso, tome muito cuidado com indicações de pessoas leigas no assunto e receitas caseiras.

O que sabemos sobre as espinhas?

Apesar de surgirem principalmente na adolescência, afetando cerca de 85% dos indivíduos nessa fase, as espinhas podem vitimizar os adultos também – 12% das mulheres e 3% dos homens, de acordo com um artigo sobre acne na mulher adulta publicado na Surgical & Cosmetic Dermatology, a revista científica da Associação Brasileira de Dermatologia.

As espinhas aparecem por motivos diversos, desde desordem alimentar, ciclos menstruais irregulares, hereditariedade, estresse, exposição à radiação ultravioleta, obesidade, cigarro, entre outras doenças endócrinas, como síndrome dos ovários policísticos. Mas nem todas as causas foram ainda desvendadas.

Alguns períodos também podem levar ao aparecimento da acne: pré-menstrual, pré-menopausa, gravidez e durante o uso de contraceptivos progestágenos, entre outros medicamentos ou suplementos alimentares ricos em aminoácidos.

Tratando as manchas

Espinhas podem deixar cicatrizes e manchas. As cicatrizes são chamadas “depressões dérmicas”: quando ocorre uma degradação do colágeno. Há tratamentos médicos utilizados para tratar cicatrizes, como peelings, mas que são tratamentos de recuperação prolongada.

Outra forma de tirar mancha de espinha do rosto é usando produtos próprios para isso, sempre orientada por um dermatologista, pois alguns demandam receita médica, causam efeitos colaterais e só podem ser usados por um período limitado.

Existem exceções menos agressivas e mais vantajosas.

Na formulação do Creamy Mandélico, o destaque fica por conta de dois grandes ativos: o ácido mandélico e o alfa-arbutin. A eficácia de ambos no clareamento de manchas escuras, inclusive do melasma, já foi comprovada cientificamente e tem o crivo de nossas clientes.

Outro componente importante do produto é a alantoína, que é hidratante e regeneradora das células. Essa substância reduz os efeitos colaterais do ácido, tornando o Creamy Mandélico ainda mais seguro. Vale a aposta!

Fonte: Acne da mulher adulta: revisão para o uso na prática clínica diária | Surgical & Cosmetic Dermatology

Colágeno: você sabe o que é?

Certamente você já ouviu falar dos poderes do colágeno no combate ao envelhecimento da pele. Ele é praticamente o santo graal das substâncias, procurado – e encontrado! – nos alimentos naturais, nos suplementos e também nos cosméticos.

Mas o que exatamente é o colágeno?

O termo “colágeno” é usado para nomear a família de 27 proteínas isoformas que são encontradas nos tecidos conjuntivos de diversas partes do corpo, por exemplo: ossos, tendões, cartilagens, veias, pele, dentes, assim como músculos e até na camada córnea dos olhos.

Apesar de ser muito requisitado, há outras substâncias que fazem tão bem quanto ao nosso organismo. E todas elas estão nos chamados alimentos funcionais. Algumas delas: fibras, oligossacarídeos, carotenóides, proteínas, peptídeos, prebióticos, probióticos, simbióticos, fitoquímicos e ácidos graxos poli-insaturados.

Muitos nomes para decorar? Não precisa se preocupar! Alimentando-se de forma correta, o seu corpo receberá todos eles da melhor forma.

Bom, mas você pode estar se perguntando: por que mesmo me alimentando de forma correta o meu corpo perde colágeno?

O que acontece é que no decorrer da vida vamos perdendo essa substância tão importante de forma natural devido ao próprio processo de envelhecimento. Por isso torna-se necessária a reposição, que pode acontecer de algumas formas:

Por meio de alimentos naturais: proteína de origem animal, chás, sucos etc.

Por meio de produtos alimentícios: iogurtes, gelatinas, embutidos como salsicha e presunto, gelatina, pudins e maria-mole, entre outros.

Por meio de suplementos alimentares: colágeno em pó.

O colágeno é tão importante para o corpo que previne outras doenças como: osteoartrite, osteoporose, hipertensão e úlcera gástrica.

Os seus benefícios vão para lá da estética, sem dúvida!

Alguns ativos presentes em cosméticos também estimulam a produção de colágeno da pele. Isso acontece no Creamy Mandélico e no Creamy Glicólico.

É importante, entretanto, ficar atenta à propaganda enganosa por aí. Como é o santo graal das substâncias, é fácil comprar gato por lebre, principalmente no mercado da suplementação e dos cosméticos.

Aposte com segurança nos bons alimentos e crie uma rotina de cuidados com a pele de qualidade, orientada por profissionais.

Fonte: Colágeno: Características químicas e propriedades funcionais | Revista do Instituto Adolfo Lutz