“Vamos falar de beleza sem Photoshop?”, por Luciana Vilela

Meu nome é Luciana Vilela, mas pode me chamar de Lu. Desde pequena eu sou ligada ao mundo da beleza, tenho foto bem criança fazendo as unhas – de calcinha e camiseta dando a mãozinha pra manicure! Mesmo sendo arquiteta por formação e tendo trabalhado por 14 anos em minha área, hoje me considero mais blogueira de beleza do que arquiteta.

Eu posso dizer que a internet apenas expandiu minha área de atuação, pois mesmo em casa, para a família e amigas, eu sempre mostrei minhas cores de esmalte, o que eu comprava para o cabelo, a última maquiagem lançada, o melhor tratamento de pele que eu já tinha feito.

Tive acne na adolescência, sofria muito por não me enxergar atrás das marcas na pele. Mas hoje entendo que no final, a acne foi boa pra mim. Como eu cresci fazendo tratamentos com dermatologistas, eu aprendi a cuidar de mim. Como resultado, mais do que uma pele melhor (melhor, não perfeita), eu me tornei uma pessoa mais cuidadosa, que entende que pele é um órgão do corpo e assim como coração, fígado, estômago, responde aos nossos cuidados diários mais simples.

É muito mais do que passar um creme, mas também da alimentação, da qualidade de vida, da saúde mental – como um órgão do corpo, a pele reflete nosso estado de saúde.

Gosto de me sentir bem cuidada, e por incrível que pareça, fico sem maquiagem a maior parte do tempo. Me sinto bem em mostrar como eu sou, e saber que as pessoas podem me ver no Instagram e me encontrar pessoalmente sem achar que eu sou diferente do que elas imaginavam.

Sou uma mulher de 43 anos com cara de uma mulher de 43 anos. Eu não sou o sonho da perfeição, eu sou resultado da minha realidade, que é bem parecida com a de todos. A minha realidade é de uma pessoa que trabalha, cuida da família, da casa, que tem várias prioridades que muitas vezes passam na minha frente.

Que mulher nunca deixou de ir ao salão para estudar com o filho? Ou que deixou de ter uma noite de descanso porque ele estava doente? Ou que não pode descansar como queria antes daquela festa pois precisava entregar o trabalho a tempo, e foi pra festa de olheira mesmo?

Eu sou essa mulher que nem sempre está com as unhas feitas, o cabelo escovado e a tintura desbotada, mas nem por isso você me verá menos bonita do que eu sou.

Hoje em dia eu mantenho os cuidados diários com a pele que eu aprendi nos meus tratamentos da acne: limpo com suavidade, hidrato bastante e protejo sempre contra a radiação. A Creamy começou a fazer parte da minha rotina em 2020 e fez muita diferença no controle da oleosidade, que sempre piora no verão. Consegui oleosidade controlada, pele mais uniforme e com textura refinada. Com uma pele assim, a maquiagem passou a ser um item opcional!

Eu tenho 2 filhas que estão entrando na adolescência e hoje elas limpam o rosto, usam protetor solar, cuidam das próprias unhas e adoram se divertir comigo no fim de semana usando minhas máscaras faciais. Para elas eu sou a maior influenciadora.

Se eu tenho o poder de escolher usar ou não maquiagem, alisar ou não o meu cabelo e mostrar na internet quem eu sou sem ter que interpretar uma personagem, eu me considero uma mulher empoderada. Eu não estou buscando a aprovação da minha aparência ou do meu jeito de ser!

Luciana Vilela

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *