Ácidos: como evitar a irritação da pele?

Um dos maiores efeitos colaterais do uso dos ácidos na pele é a irritação.

Em maior ou menor grau, ela pode atingir todo mundo, pois o mecanismo de ação do ácido é justamente a descamação e o aumento da circulação sanguínea no local da aplicação – ou hiperemia.

Ou seja, a sensibilidade é completamente natural e necessária para que os AHAs façam seu trabalho de renovação celular, hidratação profunda e estímulo de colágeno.

No entanto, a irritação pode, sim, ser evitada em alguns casos e minimizada em outros. Fique atento às dicas do médico especialista em dermatologia Luiz Romancini!

1. Lave o rosto e seque bem. Aplique o produto logo após, com a pele completamente seca. “Uma pele molhada, úmida ou suada altera o pH do ácido, que pode ionizar – isso aumentaria seu efeito irritativo”, explica.

2. Se a sua pele é muito ressecada e após lavar você sente a necessidade de um hidratante, pois ela repuxa, é aconselhado hidratá-la 15 minutos antes de aplicar o ácido. “Uma pele com sede vai absorver mais ácido do que deveria, causando mais irritação”, afirma o médico. Clique aqui e descubra como identificar o seu tipo de pele.

3. Os cantinhos dos olhos, da boca e do nariz são áreas especiais, portanto, aplique com sabedoria! Nos cantos do nariz, há o risco de acumular produto e causar um efeito irritativo. Ao redor dos olhos e da boca, lágrimas e saliva podem entrar em contato com o ácido durante a noite, potencializando seu efeito e diminuindo o pH local, o que causaria um ressecamento maior. Mas sem pânico: “Esses efeitos colaterais são transitórios. A pele se habitua após 1 ou 2 semanas e passa a perceber apenas os benefícios do ácido”.

4. Comece devagar. Nos primeiros usos, aposte em pequenas quantidades sob a pele previamente hidratada (se necessário) e em noites alternadas. Aumente gradativamente a frequência conforme sua tolerância! Autoconhecimento e tudo! 😉

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *